Gerência de Regulação Econômica da AGR reúne-se com técnicos da CMTC



Objetivo foi buscar informações para dar continuidade aos estudos preliminares para a revisão da metodologia de cálculo da tarifa de remuneração do transporte metropolitano

Técnicos da Gerência de Regulação Econômica e Desestatização da Agência Goiana de Regulação (AGR) estiveram, nesta segunda-feira (20/11), Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC) para conhecer melhor o sistema de transporte metropolitano e o seu funcionamento, a fim de dar continuidade aos estudos preliminares de revisão da metodologia de cálculo da tarifa de remuneração. Essa atribuição foi delegada à AGR pela Lei Estadual 169/2021, que reformulou a região metropolitana para o setor de transporte coletivo de passageiros.

A gerente de Regulação Econômica, Graciela Profeta, com a assessora Gabriella Queiroz e os contadores Leandro Moraes, Dilson Lemos e Ricardo Assis do Nascimento, foram recebidos pela diretora Administrativa e Financeira da CMTC, Áurea Pitaluga, e pelo consultor Arlindo Fernandes, da Oficina Consultores, responsável pela concepção do novo sistema. O treinamento durou toda a manhã e incluiu informações sobre como o sistema foi pensado, as estimativas de cálculo de demandas, de custos, de rotas (linhas) e de investimentos. 

Para Graciela Profeta, o treinamento foi importante por permitir entender com mais profundidade toda a operacionalização do sistema de transporte metropolitano hoje. Para revisar a metodologia usada no cálculo da tarifa a ser subsidiada pelo Governo de Goiás no transporte da região, a AGR já havia feito um levantamento preliminar a partir dos estudos realizados pela própria Gerência de Regulação, mas faltavam elementos para consolidar a metodologia para os novos cálculos.

Segundo observa a gerente de Regulação da AGR, com as informações colhidas junto à CMTC, a equipe técnica vai poder ver se os parâmetros que compõem a fórmula paramétrica de cálculo do reajuste estão retratando a realidade ou se é necessário fazer ajustes para a definição da nova metodologia a ser usada para definir a tarifa remuneratória para a rede metropolitana. 

Agência Goiana de Regulação, Controle e Fiscalização de Serviços Públicos (AGR) – Governo de Goiás

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.